Test
keyboard_arrow_up
Toro Radar

Brasil está entre os países que têm o Big Mac mais caro do mundo

O sanduíche mais famoso do planeta é também uma forma de entender a economia

A variação das moedas ao redor do mundo pode parecer um enigma para muitas pessoas. Como entender o quanto uma moeda vale a mais ou a menos do que outra? Como saber se o poder de compra aqui do Brasil está em relação ao dos Estados Unidos, por exemplo?

Para ajudar meros mortais como nós a entender essa dinâmica, a revista britânica "The Economist” criou o Índice Big Mac. Sim, você pensou certo! Estamos falando daquele famoso sanduíche do McDonald's. Ele é a base de um indicador econômico mundialmente conhecido.

Criado em 1896, o índice faz uma comparação entre o poder de compra de 48 moedas do planeta, usando o preço do sanduíche como parâmetro. É uma análise bem humorada e ao mesmo tempo muito séria. Através dela, é possível avaliar a valorização da moeda de cada país em relação aos demais.

O Índice Big Mac tem como base a teoria da paridade do poder de compra (PPP), onde a intenção é que as taxas de câmbio a longo prazo sigam o caminho de igualar os preços de um determinado bem ou serviço em mais de um país. Nesse caso, muito bem representado pelo sanduíche.

O índice não tem pretensão científica. Foi criado apenas para tornar as discrepâncias cambiais mais palpáveis. Ou seja, fazer com que a diferença da valorização das moedas ao redor do mundo seja mais facilmente entendida.

Apesar que não ter teor científico, o índice ganhou espaço nas universidades e se tornou tema de mais de 20 trabalhos acadêmicos. Contudo, como era de se esperar, ele é alvo de críticas.

A validade dos resultados do Índice Big Mac tem sido questionada especialmente porque o indicador não leva em consideração que em países mais pobres a mão de obra é mais barata, o que poderia refletir diretamente no preço do sanduíche.

A revista Britânica criadora do índice, em resposta às críticas, fez um ajuste em seu método de avaliação e começou a levar em consideração o nível de desenvolvimento do país de acordo com seu PIB por pessoa.

Brasil e o Índice Big Mac

Ao todo, são 48 países participantes do índice. Neste ano de 2017, o Brasil aparece em 5º lugar no ranking dos sanduíches mais caros do mundo, perdendo apenas para Suíça, Noruega, Suécia e Venezuela, respectivamente.

Já os EUA estão uma posição atrás do Brasil. O preço do Big Mac norte-americano, é usado como referência para o índice. Lá, o sanduíche custa em média US$ 5,06, enquanto no Brasil, o preço fica em torno de U$5,12. No Egito, que aparece como último colocado, paga-se U$1,46 pelo lanche clássico do McDonald’s.

Levando em consideração o critério do PIB, o Brasil sobe da 5ª para a 1ª posição, liderando a lista com o preço mais de 67% acima do que o esperado. Isso é mais que o dobro do segundo colocado, o Paquistão.

De acordo com o índice, o Real está entre as moedas que se encontram demasiadamente valorizadas, juntamente com seus companheiros de ranking no topo da lista. Em 2016, a moeda brasileira se valorizou muito devido a uma super virada no segundo semestre, porque até julho, o real se mostrava subvalorizado segundo a própria The Economist.

A importância dos facilitadores

Ferramentas como o Índice Big Mac, criadas para facilitar o entendimento das pessoas à respeito da economia, têm contribuído cada vez mais para atrair atenção para o Mercado Financeiro. O que para muitos antes parecia impossível de entender, hoje está mais simples e acessível.

Com isso, o mercado segue a tendência de migrar de aplicações mais tradicionais, como a poupança, rumo a investimentos mais rentáveis, como a Bolsa de Valores. Fato que não era comum há algum tempo.

Ouvir a expressão BM&F Bovespa ou pensar em descobrir como investir na Bolsa de Valores, chegava a dar arrepios. Hoje, a realidade mudou. E isso vem acontecendo graças a empresas como a criadora do índice Big Mac e tantas outras têm tomado iniciativas que contribuem cada vez mais para a desmistificação do mercado.

Aproveite a oportunidade que esses facilitadores te oferecem e busque cada vez mais conhecimento a respeito do mercado financeiro. Aprenda a valorizar seu dinheiro!